As Boas Novas da Ascensão de Cristo – Jared C. Wilson

por Jared C. Wilson

O Dia da Ascensão é tradicionalmente marcado no 40º dia após o domingo de Páscoa. A doutrina da ascensão de Cristo tem muitas implicações. Aqui estão apenas cinco.

1. Jesus está realmente vivo.

A realidade da ascensão de Cristo, inseparável do evento da ressurreição, nos diz que Ele não ressuscitou dentre os mortos apenas para morrer novamente como Lázaro, a filha de Jairo, o filho da viúva de Naim, Eutíquo ou Tabita. O corpo de Jesus não será encontrado, porque Ele levou sua glória tangível para o céu.

2. O céu é mais real que a terra.

Tendemos a pensar no céu como o lugar etéreo dos espíritos desencarnados. E de certa forma é. Mas Elias está lá. Enoque também. E assim é o Cristo ressuscitado, glorificado e encarnado. Jesus está lá, ocupando espaço material. Ele é palpável, presente. Claramente, o céu não é menos real que a Terra. Ele é uma realidade mais espessa do que o nosso espaço quadridimensional, mais vibrante, mais colorido, mais real.

3. O plano de Deus para o domínio humano da terra está sendo realizado.

O primeiro Adão e sua ajudante Eva foram encarregados de encher a terra e subjugá-la. Eles estragaram tudo. Mas os planos de Deus não podem ser frustrados. O homem refletirá a glória de Deus no domínio sobre a criação. Na Encarnação, então, Deus envia seu Filho para corrigir o rumo, reverter a maldição e começar a restauração de todas as coisas. O segundo Adão faz o trabalho, e mesmo em sua glorificação, o “milagre da encarnação” persiste, cumprindo o plano de Deus para que o homem reflita a glória divina no domínio sobre a criação. O Deus-Homem, que é o esplendor da glória de Deus, domina a terra e agora está subjugando seus inimigos. “A ascensão significa que um ser humano governa o universo”, diz Tim Keller. Assim como Deus planejou.

4. A Encarnação é um milagre duradouro.

A encarnação foi uma humilhação do Filho de Deus, mas não uma diminuição dele. O Filho manteve sua onipresença mesmo em sua encarnação . (Historicamente, os teólogos chamam essa perspectiva de extra calvinisticum – CONFERIR NOTA .) Mas a ascensão significa que o Filho permanece para sempre o Deus-Homem. Ele não voltou à intangibilidade. Seu estado encarnado ascendido, então, não é uma limitação eterna, mas uma parte de seus esforços contínuos para preencher todas as coisas. Ele ocupa mais espaço nos céus e na terra agora, não menos. A encarnação é um milagre sem data de validade.

5. A ascensão é Evangelho para os pecadores!

Por quê? Porque se isso significa – entre as muitas coisas que o evangelho significa – que estamos unidos a Cristo pela fé, também significa que onde Ele está, estaremos nós também. Isso significa que iremos para o céu em espírito, e o céu chegará a nós em corpo. A ascensão é a fruição completa da promessa da ressurreição de Cristo, sendo ela as primícias disso. A ascensão significa que o Evangelho é uma notícia melhor do que pensávamos! Ela mantém a promessa, a esperança abençoada, não apenas da vida após a morte, mas “vida após vida após a morte”. Que Deus gracioso nós temos!

NOTA: sobre o termo extra calvinisticum, conferir  https://teologiabrasileira.com.br/a-doutrina-cristologica-do-extra-calvinisticum/
FONTE: https://www.thegospelcoalition.org/blogs/jared-c-wilson/the-good-news-of-christs-ascension/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.