Personagens da Reforma – dia 7 “Girolamo Savonarola. O precursor italiano da Reforma”

Este artigo pertence a uma série intitulada Projeto Reforma, uma compilação de escritos sobre a celebração do Dia da Reforma Protestante publicados pelo site “Soldados de Jesuscristo” em espanhol . Tradução ao português via Projeto Castelo Forte . CONFIRA os outros dias AQUI

Por Zach Howard

Na base do monumento a Lutero na cidade de Worms, Alemanha, estão os quatro precursores da Reforma Protestante: Jan Hus, John Wycliffe, Peter Waldo e Girolamo Savonarola. Esses homens não poderiam ter personalidades mais diferentes, mas cada um inspirou as reformas de Lutero à sua maneira. Para Lutero, Savonarola foi pessoalmente inspirador: quando Lutero viajou para a Dieta de Worms em 1521 para ser julgado, depois de queimar a bula papal que o excomungou – ele trouxe com ele um retrato desse frade dominicano.

Como Lutero enfrentou a possibilidade de morte em Worms, ele talvez comparou sua própria vida à de Savonarola. Com uma voz profética, Savonarola condenou a corrupção da igreja romana. Seu conflito com o papa terminou com sua excomunhão e execução na fogueira. Lutero foi igualmente excomungado por suas alegações contra os abusos papais e, embora tenha escapado de sua própria sentença de morte, encontrou uma particularidade em comum com Savonarola: dois anos depois de se esconder no Castelo de Wartburg, Lutero publicou as meditações de Savonarola na prisão sobre os Salmos 51 e 31 e elogiou-o como “aquele homem piedoso de Florença”.

O profeta do povo

Savonarola era um jovem motivado por aprender que nasceu em uma família rica em Ferrara, Itália, em 1452, onde se inspirou a estudar medicina. Aos 23 anos, decidiu ingressar na ordem dos Dominicanos, depois de se desiludir com a vaidade da cultura italiana. Como um jovem frade, ele documentou exaustivamente os escritos de São Tomás de Aquino e as Escrituras, mostrando rapidamente que ele tinha uma mente treinada que o capacitou a memorizar muitas das Escrituras.

Savonarola chegou a Florença em 1490, sendo já famoso pelo seu saber, embora tenha sido a sua pregação que o levou a fazer parte do centro da reforma e da política da cidade de Florença. Frequentemente, na catedral desta cidade, Savonarola pregava para milhares de pessoas em linguagem coloquial, usando imagens poderosas e linguagem escritural simples. Ele anunciou a graça salvadora de Cristo com fervor bíblico enquanto criticava as práticas imorais de líderes políticos e religiosos.

Sua pregação influente e alguns eventos notáveis ​​fora do controle de Savonarola, como a invasão surpresa da Itália pelo rei francês junto com uma doença devastadora, aumentaram subitamente sua influência em Florença. Como Savonarola era amplamente conhecido pelos florentinos, sua voz foi reconhecida no curso desses eventos que eles associaram ao fim dos tempos, especialmente porque estavam perto do ano 1500.

No auge dessas mudanças, Savonarola levou a juventude de Florença a incitar reformas, desencadeando várias “Fogueiras das Vaidades” em protesto contra o carnaval anual da cidade. Esses jovens levaram os cidadãos a destruir instrumentos considerados tentadores, como máscaras carnavalescas, cartas, vestidos finos, maquiagens, espelhos e até instrumentos musicais. A última delas ocorreu na Piazza della Signoria, no centro de Florença, em 7 de fevereiro de 1497, meses antes do Papa Alexandre VI excomungar Savonarola.

Após sua excomunhão, o conflito de Savonarola com o Papa Alexandre VI explodiu quando o Papa capturou as cartas que Savonarola havia enviado aos reis da França, Inglaterra, Espanha, Hungria e ao imperador da Alemanha, implorando que convocassem um conselho eclesiástico para removê-lo por seus abusos. Savonarola não se opôs ao cargo de Papa em si, mas apenas contra Alexandre VI especificamente e, dessa forma, diferiu das críticas dos reformadores posteriores sobre a autoridade do papa e da doutrina católica.

Centelha de Lutero

Enquanto Savonarola afirmava a prioridade de Pedro, fomentava a devoção a Maria e tendia a uma visão semipelagiana da salvação, ele permaneceu doutrinariamente dentro da Igreja Católica Romana. Mas na medida em que Savonarola clamava por uma reforma moral, condenava os abusos papais e elevava a autoridade das Escrituras, ele antecipava a Reforma.

Embora o movimento de reforma de Savonarola em Florença não tenha continuado muito depois de sua morte, sua pregação apaixonada e suas reformas zelosas expuseram a corrupção da igreja como uma luz fraca mas brilhante dentro de uma caverna escura. A centelha de Savonarola era o tipo de centelha com a qual Lutero, apenas duas décadas depois, acenderia seu próprio fogo para a Reforma.

FONTE: https://somossoldados.org/girolamo-savonarola-1452-1498-el-precursor-florentino/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.