Personagens da Reforma – dia 18 “Ulrich Zwinglio. O Gigante Suíço da Reforma”

Este artigo pertence a uma série intitulada Projeto Reforma, uma compilação de escritos sobre a celebração do Dia da Reforma Protestante publicados pelo site “Soldados de Jesuscristo” em espanhol . Tradução ao português via Projeto Castelo Forte. CONFIRA os outros dias AQUI

por Travis Myers

A carreira de Ulrich Zwinglio como reformador foi relativamente curta; entretanto, sua liderança enérgica e multifacetada foi crucial nos primeiros dias do movimento da Reforma Protestante.

Zwinglio nasceu em 1484, filho de um magistrado local de uma pequena aldeia alpina chamada Wildhaus. Ele frequentou as universidades de Viena e Basileia antes de servir como padre de 1506 a 1516 na cidade suíça de Glarus. Durante seu tempo como sacerdote na cidade de Einsiedeln (1517-1518), Zwinglio rompeu com a tradição católica romana ao pregar claramente no vernáculo alemão. Essa pregação lhe rendeu um cargo na cidade livre cantonesa de Zurique em 1519.

Em Einsiedeln, Zwinglio fora um estudante apaixonado do Novo Testamento grego recentemente compilado por Erasmo de Rotterdam. Agora em Zurique, Zwinglio passou seis anos pregando diretamente do Novo Testamento, misturando-se com o povo de sua paróquia, escrevendo contra o dogma católico e práticas que não estavam de acordo com as Escrituras; além disso, ele debateu publicamente com as autoridades católicas perante os líderes do povo. Durante esse tempo, os municípios de Zurique e cidades vizinhas votaram pela adoção do protestantismo.

Os sessenta e sete artigos

No início do ano 1523, para seus debates públicos com as autoridades católicas, Zwinglio escreveu “Os sessenta e sete artigos.” A breve introdução e conclusão do documento revelam o profundo respeito de Zwínglio pela autoridade da Palavra de Deus e sua firme crença no status único da Bíblia como a única revelação das boas novas da salvação em Jesus Cristo e da vontade de Deus para o povo cristão. A introdução diz:

Em relação aos artigos e opiniões que se seguem, eu, Ulrich Zwinglio, confesso ter pregado na digna cidade de Zurique com base nas Escrituras que são inspiradas por Deus … e naquilo que não entendi corretamente as Escrituras, estou disposto a ser melhor ensinado, mas apenas por aquelas Escrituras.

Zwinglio expandiria esses assuntos em um extenso tratado de 1525 intitulado “A verdadeira e a falsa religião“. Em 1526, ele compôs “As Dez Teses” para Berna, que serviu como um breve resumo de sua perspectiva sobre a Reforma.

Longe da pompa

Zwinglio, o gigante suíço da Reforma, estava particularmente incomodado com a pompa, hipocrisia e idolatria da religião do homem. Seu trabalho para a Reforma de Zurique e outros cantões suíços pode ser melhor concebido como um esforço para libertar as pessoas dos fardos impostos pelos sistemas religiosos feitos pelo homem, que não podem cumprir sua promessa de vida eterna.

O artigo sete dos “sessenta e sete artigos” afirma que Cristo “é a salvação eterna e a cabeça de todos os crentes, que são seu corpo, mas que estão mortos e nada podem fazer sem ele“. Assistir à missa, participar dos chamados sacramentos do catolicismo romano ou mesmo ser ordenado sacerdote não torna alguém um membro espiritualmente vivo da verdadeira “ecclesia catholica” (a igreja universal). Isso só acontece pelo Evangelho e pelo Espírito.

Coma uma salsicha, encontre uma esposa

Zwinglio foi um ativista que não apenas se esforçou para ensinar e aplicar a Bíblia de maneira única, mas também fez lobby junto à igreja e às autoridades civis para alinhar suas leis e políticas com a Palavra de Deus. Durante a Quaresma de 1522, Zwinglio deu seu consentimento tácito na casa de um paroquiano, o impressor Christoph Froschauer, para que ele e seus convidados comessem salsichas, um prato tradicional local que foi proibido pela Igreja Católica Romana durante a Quaresma. Zwinglio pressionou com sucesso as autoridades de Zurique para que libertassem esses homens da prisão, para a qual foram levados por quebrar o jejum da Quaresma.

Aproveitando a indulgência do conselho da cidade, Zwinglio e dez outros padres escreveram ao Arcebispo de Constança pedindo-lhes o direito dos padres se casarem, já que a exigência do celibato era imprudente e antibíblica. O próprio Zwinglio já morava com uma viúva, Anna Reinhart, com quem se casou pouco depois de Zurique se tornar um cantão protestante, livre da autoridade do arcebispo.

Zwinglio também tinha um profundo respeito pelas mulheres e ansiava que elas experimentassem um autêntico discipulado cristão. Em 1522, ele visitou um convento para dar uma série de palestras intituladas “Sobre a Clareza e a Certeza da Palavra de Deus“, lições teológicas sobre a doutrina da revelação e a interpretação da Bíblia.

Doze anos de Reforma

Em 11 de outubro de 1531, aos 47 anos, ZwingliO morreu desarmado em um campo de batalha perto de Kappel, na Suíça, enquanto servia como capelão para as tropas protestantes, carregando apenas uma bandeira e uma Bíblia.

Na época de sua morte, Zwinglio havia deixado sua vida como padre em Einsiedeln há apenas doze anos – uma carreira curta em comparação com as décadas de reforma de Lutero e Calvino. No entanto, há uma razão pela qual Zwinglio é frequentemente o terceiro nome mencionado ao se lembrar da Reforma. Pela graça de Deus, os doze anos dinâmicos desse reformador conduziram incontáveis ​​homens e mulheres suíços de uma cerimônia morta e de volta a Jesus Cristo.

Heinrich Bullinger herdou o cargo de pastor de Zwinglio na igreja Gross Münster em Zurique e era o chefe da “Escola dos Profetas” nesta mesma cidade, que treinava homens em línguas bíblicas, exegese e pregação. Em 1606, Bullinger foi o principal autor da Segunda Confissão Helvética, que foi prontamente adotada pelas igrejas reformadas da Suíça, Escócia, Hungria, França e Polônia. Até hoje, continua a ser a declaração doutrinária mais influente e apreciada em várias denominações reformadas ao redor do mundo.

FONTE: https://somossoldados.org/ulrich-zwingli-1484-1531-el-gigante-suizo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.