Qual é o apelo do Catolicismo Romano? – Tim Challies

 
Durante o fim de semana um membro de uma lista de correspondência que eu subscrevo fez uma pergunta interessante. Refletindo sobre algumas das “defecções” altamente divulgadas de antigos Protestantes que foram para o Catolicismo Romano, ele perguntou: “afinal, qual é o apelo do Catolicismo Romano?” Algumas vezes eu me perguntei o mesmo. Por que é que muitos Protestantes acabaram se convertendo ao Catolicismo Romano? Para colocar as coisas em contexto, minha experiência mostra que um número maior de Católicos Romanos se tornam Protestantes do que o contrário. Eu não penso que conversões ao Catolicismo representam uma epidemia. Ainda assim, vale a pena pensar sobre a pergunta.

Eu penso que é interessante e importante notar o tipo de pessoas que saem do Protestantismo e se voltam católicas ou retornam para Roma. É minha experiência que as pessoas que fazem esta transição não são simplesmente professores da Bíblia ou estudantes da Bíblia, mas são pessoas que estão apaixonadas pela filosofia. Não são expositores que atravessam o Tibre, mas os filósofos. Para os homens que consideram a Bíblia como a maior fonte de autoridade e que amam prescrutar as Escrituras e compartilhar o que o Espírito ensina em suas páginas, Roma oferece muito pouco. No entanto, para aqueles que amam filosofia, pode-se argumentar que Roma oferece muito mais.

Em minha experiência, mais pessoas retornam para Roma do que se convertem em católicos romanos. Não é incomum ver pessoas experimentando uma aparente conversão mas, depois de um período de tempo, retornam à Igreja Católica. Recentemente ouvi de alguns amigos dos quais não sabia nada há algum tempo, e fiquei surpreso ao saber das notícias da família deles, incluindo o batismo de seu filho mais novo e a primeira comunhão de uma de suas crianças mais velhas. Enquanto eles se consideravam Protestantes, suas raízes eram Católicas e parece que sucumbiram à pressão familiar ou não perderam suas convicções sobre certas crenças Católicas Romanos. Isso me lembrou de outro amigo que fez o mesmo. Apesar de ser salvo e ter sido batizado em uma igreja Batista, ele ainda teve seus filhos batizados em uma igreja Católica. Claramente, algo no sistema Católico vai muito fundo na alma e cativa as pessoas. Há algumas porções do ensino Católico que são difíceis de serem deixadas para trás.

Aqui estão várias maneiras pelas quais acredito que os Protestantes podem se enamorar da teologia Católica. Também vou, com muito brevidade, sugerir algumas soluções.

História: A Igreja Católica Romana fez um trabalho magistral ao apresentar-se como a única e verdadeira igreja. Ela afirma ter uma linha de sucessão ininterrupta dos Apóstolos e afirma que representa com mais precisão a fé da igreja primitiva. A maioria dos Protestantes não são suficientemente educados na história da igreja para refutar ou até mesmo não acreditar nessas reivindicações. Assim, Roma parece oferecer o privilégio de ser uma volta para a igreja no seu mais básico e mais puro estado. Isso mostra quão importante que nós, como Protestantes, eduquemos as pessoas para que elas saibam que o Catolicismo é uma perversão da doutrina bíblica e o ensino da igreja primitiva. Não podemos nos dar ao luxo de desistir deste terreno.

Harmonia- Católicos Romanos constantemente apontam para as “centenas de milhares” de denominações Protestantes como evidência da superioridade de Roma, que aparenta ter uma unidade muito maior. Esta visão é simplista e ignora o fato que a Igreja Católica Romana tem muitas facções e partidos dentro de si. Ainda assim, como Protestantes, devemos ceder que a desunião dentro das nossas igrejas serviu para prejudicar em vez de ajudar nosso testemunho para com os Católicos Romanos e para outros que precisam ouvir do evangelho. A solução, no entanto, não é se ajuntar, apesar do evangelho, mas som fazer o evangelho o ponto principal de nossa maior unidade.

Autoridade – A Igreja Católica Romana oferece um tipo de segurança que está faltando no Protestantismo. Porque no sistema Romano a  autoridade máxima é o reino do papa e a Igreja, seus membros são absolvidos de grande parte do trabalho de procurar nas Escrituras e buscar compreendê-las e aplicar-las apropriadamente. Protestantes acreditam no direito, responsabilidade e privilégio de cada pessoa de interpretar a Bíblia com a ajuda do Espírito Santo. A Igreja Romana ensina que a maior responsabilidade da pessoa é simplesmente obedecer o que a igreja estipula. Como Protestantes devemos ensinar qual a alegria e privilégio que é ter o Espírito Santo presente em nós para que pesquisemos as Escrituras e termos connfiança de que o que nós aprendemos é verdade. Mesmo assim, precisamos entender que não podemos ir sozinhos. Precisamos contar com a assistências de outros Cristãos antes de nós.

Ignorância – Há uma ignorância surpreendente entre os protestantes sobre o que é a teologia e a prática Católica. Muitos protestantes são ensinados sobre coisas  de Roma que simplesmente não são verdades. Assim, quando se encontram com Católicos ou experimentam o culto Católico, estão despreparados para o que eles experimentam. Eles ficam surpresos ao ouvir muitas das mesmas palavras, compartilhar muitos dos mesmos elementos de culto. Muitas das diferenças mais importantes entre as doutrinas Católicas e a teologia da Bíblia são boas e sutis. Aqueles que sabem pouco mais do que “Católicos acreditam na salvação pelas obras” podem ser facilmente cortejados pela realidade do Catolicismo Romano. É importante que os Protestantes conheçam o Catolicismo como é realmente ao invés de ser ensinado por meio de mera caricatura

Ritual- O Protestantismo, especialmente em suas formas mais “populares”, tornou-se muito des-ritualizado. Embora existam algumas formas de culto Protestante que mantenham uma maior quantidade de ritual (igrejas Anglicanas, por exemplo, e até certas formas do Presbiterianismo) a maioria é muito casual. O que se entende por casual pode, para alguns, parecer irreverente e desrespeitoso. Por outro lado, o culto Católico Romano tem aparência externa de ser muito mais sério e, em muitos aspectos, mais respeitoso. Isso atrai certas pessoas, e talvez especialmente aquelas que estiveram acostumadas a cultuar no que é baseado no ritual. A solução aqui não é retornar para o ritual, mas retornar para um sentido de gravidade que marcam tempos de adoração corporativa como sendo diferentes dos tempos de entretenimento e diversão.

Penso, porém, que a razão final é esta: a Igreja Católica Romana pode muito bem ser um grande engano. Eu reconheço que estas são palavras duras de combate, mas permanecerei aqui com elas. A doutrina da Igreja Católica Romana não oferece salvação a ninguém. Isso não quer dizer que não existem verdadeiros cristãos nas igrejas católicas. Antes, é afirmar que essas pessoas são salvas apesar da doutrina Católico, não por causa dela.

O conceito de que não podemos fazer nada para ganhar, merecer ou contribuir para a nossa salvação é repugnante para o homem natural. No entanto, uma religião sem nenhuma graça pode também provar-se repugnante. O Catolicismo consegue oferecer graça o suficiente para dar uma aparência de ortodoxia bíblica, mas ainda atribui ao homem uma parte do trabalho para que sejamos salvos. Ela invoca magistralmente apenas graça o suficiente para que possa-se dizer de maneira justa que Catolicismo é uma religião de graça. No entanto também requer obras para que possamos razoavelmente dizer que o catolicismo é uma religião de obras. Se nós acreditamos no que a Bíblia ensina – que nossas obras não merecem nada diante de Deus –  então sabemos que precisamos rejeitar a teologia Católica Romana como sendo não apenas não bíblica, mas anti-bíblica A teologia Católica é brilhante por sua mímica da teologia bíblica, mas quando examinamos de perto percebemos que ela deve ser rejeitada. Não é mais que uma inteligente falsificação do que a Escritura ensina.

Sempre haverá alguns Protestantes que partiram para o que eles perceberam como as pastagens mais verdes de Roma. No entanto, prevenir pessoas de serem atraídas para Roma realmente deveria ser extraordinariamente fácil. Precisamos que os Cristãos simplesmente ensinem a a doutrina Cristã, e forneçam o contexto histórico que mostrará que é a igreja invisível, os verdadeiros crentes, que são os verdadeiros sucessores dos Apóstolos. Precisamos compartilhar o evangelho e ser moldados pelo evangelho, e então deixar o resto com Deus.

FONTE: https://www.challies.com/articles/the-appeal-of-roman-catholicism
Tradução: Equipe de tradução do Projeto Castelo Forte

2 pensou em “Qual é o apelo do Catolicismo Romano? – Tim Challies

  1. Muito bom. Sou ex católico romano e ainda moro com pais católicos então por vezes é muito difícil estabelecer uma identidade como protestante porque muitas doutrinas são bem similares. Tenho encontrado grande conforto na leitura bíblica diária e participando ativamente dos cultos. Acredito que uma posição doutrinária seja realmente importante desde que em conjunto com o testemunho interno do Espírito Santo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.