O Perigo de Assistir Sermões na Internet Desenfreadamente – Joy Allmond

Joy Allmond

Desde março, todas as igrejas foram forçadas a se virar de todas as maneiras imagináveis. Uma dessas formas é a entrega do conteúdo. Quer tenham transmitido serviços de uma plataforma de mídia social ou carregado sermões pré-gravados para serem vistos no site da igreja, ajustes foram feitos.

Mas há ajustes do outro lado da tela – onde o espectador se senta – que foram perigosos. O que tenho em mente é a ladeira escorregadia em direção ao consumismo espiritual. Deixe-me explicar o que quero dizer.

Recentemente, conversei por telefone com uma conhecida que começou a falar sobre os sermões que ela ouvia ou assistia desde que sua igreja parou de se reunir fisicamente em março. Ela começou a recitar os nomes de pregadores famosos com os quais estava sintonizada, em vez de se juntar à sua igreja para o culto corporativo online.

Em seguida, ela continuou dizendo que estava sendo mais “alimentada” por esses pregadores do que por seu próprio pastor – e que, por enquanto, parou de sintonizar os cultos da igreja por completo. Curiosamente, ela não é a única pessoa que adotou essa mentalidade e prática.

Não há nada de errado em ouvir sermões de vários pastores – mas apenas como um suplemento ao discipulado oferecido por meio da própria igreja. A tendência de apenas sentar e receber em vez de investir em relacionamentos reais já prevalecia em nosso mundo pré-COVID. Mas essa pandemia parece ter elevado o desejo de consumo não compulsório.

Esse tipo de cristianismo consumista é perigoso por vários motivos.

FOMOS CRIADOS PARA COMUNHÃO E SERVIÇO, NÃO APENAS PARA CONSUMO.

Embora a vida da igreja ainda seja virtual para muitos de nós, nossa família da igreja é composta de pessoas reais, da vida real – nossos irmãos e irmãs em Cristo. A igreja nos foi dada para que possamos nos reunir (física ou virtualmente) em resposta ao ato de unidade de Cristo por meio do derramamento de Seu sangue.

A igreja não nos foi dada para que possamos simplesmente absorver tudo, sem contribuições próprias. Efésios 4: 11-12 nos diz: “Ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, outros para pastores e mestres. Eles são responsáveis por preparar o povo santo para realizar sua obra e edificar o corpo de Cristo” (NVT).

Quando estamos apenas consumindo, não estamos servindo uns aos outros. E certamente não estamos edificando nossos irmãos e irmãs em nossa igreja local. Precisamos ouvir a Palavra falada – juntos, seja física ou virtualmente – para que possamos nos lembrar da verdade, agindo como espelhos.

ESTAMOS EM UMA ALIANÇA COM NOSSA FAMÍLIA DA IGREJA.

Se você é membro da igreja, assumiu o compromisso de servir ao lado de seus irmãos e irmãs, à medida que crescem na fé juntos .

Já é difícil crescer juntos quando os grupos de discipulado podem não estar se reunindo e você não pode encontrar aqueles poucos amigos para um café. É quase impossível crescer juntos quando você nem mesmo está ouvindo o mesmo sermão e digerindo as mesmas Escrituras juntos.

Abandonar a adoração – mesmo em casa – com a família da igreja é, na melhor das hipóteses, um curto-circuito no projeto da igreja.

SEU PASTOR MERECE SUA DEVOÇÃO.

Semana após semana, mês após mês, os pastores têm trabalhado muito para manter suas igrejas conectadas em relacionamentos e espiritualmente engajadas . Eles tiveram que mudar rapidamente em março – muitos deles entregando conteúdo e sermões de maneiras que nunca tinham feito antes – porque estão comprometidos em pastorear o coração das pessoas em suas congregações.

Os pastores precisam de nosso encorajamento. Em uma recente pesquisa da LifeWay Research, eles indicaram que uma de suas maiores preocupações era o cuidado pastoral à distância. Não apenas é mais importante do que nunca na vida da igreja atender à liderança de seu próprio pastor, mas também fornecer feedback, seja uma nota de encorajamento ou uma nota de “obrigado” por liderar em um momento como este,

Lembre-se disso: quando você estiver no hospital, o pastor “celebridade” que está a vários estados de distância não será aquele que virá visitá-lo. Quando a crise atingir sua família, aquele popular “podcast cristão” não correrá para estar ao seu lado para oferecer orações e palavras de conforto.

Sim, a igreja é global. Mas fomos projetados para adorar localmente . Nossos pastores, líderes da igreja e outros membros da igreja são aqueles que conhecem você. Aqueles que te amam. Se você se afastou de sua família religiosa local, agarre-se novamente a eles. Frequentemente, é benéfico ouvir pregadores e professores bem informados, mas eles não são os pastores que cuidam de sua alma.

SOBRE JOY ALLMOND

Joy Allmond faz parte da equipe de comunicações corporativas da LifeWay e é editora-chefe da Facts & Trends, a revista online da LifeWay voltada para líderes religiosos. 

FONTE: https://lifewayvoices.com/church-ministry-leadership/are-you-cheating-on-your-church

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.