Desfrutando os Presentes de Deus de Forma Adequada – Stephen Kneale

Stephen Kneale

Ontem, na igreja, continuamos nossa série em 1 Reis. Nesta semana, chegamos ao capítulo 10 e à chegada da Rainha de Sabá. Uma das coisas que não podem deixar de ser notadas na passagem é a enorme quantidade de coisas que tirou o fôlego da Rainha. A vasta riqueza e sabedoria com as quais Salomão fora abençoado levaram-na até a abençoar o próprio Deus Jeová.

Há algum tempo, eu escrevi um post – na verdade uma citação estendida – do comentário de Dale Davis sobre 1 Reis. Você pode ler isso aqui . Falando sobre a força de 1 Reis 10, ele nos alerta que não devemos “jogar fora o nenê com a água do banho”.  Você terá que ler aquele post  para entender o que ele está falando. Eu não compartilho totalmente da visão de Davis de tudo o que está acontecendo no capítulo (eu tenho uma visão um pouco mais obscura de Salomão), mas ele destaca um ponto importante: “a prosperidade do povo de Deus é sempre um presente da bondade de Deus, que (eu acho) exige de nós tanto gratidão (para que não idolatremos os dons no lugar de Deus) e alegria (para não desprezar os dons de Deus como se fossem pecaminosos)”.

Este é um ponto com o qual frequentemente lutamos. Como mencionei antes aqui , o gnosticismo tem o hábito de dirigir algumas de nossas atitudes na igreja. Creio que nessa área de desfrutar das boas dádivas de Deus é um exemplo excelente sobre tal prática. Essas dádivas são vistas como “mundanas” e “não espirituais” e, portanto, não devem ser desfrutadas. Não podemos lidar com o fato de que o dinheiro é um presente de Deus para ser desfrutado sem, para seguir a linha de Davis, jogar fora o bebê, ou seja, arruiná-lo, advertindo-o até a morte. Como comentei no sermão de ontem:

Pode haver algo em nós que deixa tudo estranho com relação à riqueza. Queremos dizer que muito dinheiro pode se tornar um ídolo. Falamos muito sobre o amor ao dinheiro. Embora isso possa ser verdade em geral, o texto não diz isso. Salomão foi ricamente abençoado por Deus com riquezas e o escritor parece pensar que isso é uma coisa boa. O que isso nos diz é que não devemos desprezar as boas dádivas de Deus. Não temos que arruinar tudo o que Deus nos dá por meio de intermináveis ​​advertências.

Em outras palavras, é perfeitamente certo e apropriado desfrutar as boas dádivas de Deus.

Acontece que ontem era meu aniversário, então eu tinha uma ilustração pronta para a ocasião. Imagine que minha esposa me deu um presente de aniversário. Abro o presente e absolutamente amo ele. Era exatamente o que eu queria! Mas imediatamente, uma pontada de culpa surge. E se eu começar a amar demais o presente? E se isso se tornar um ídolo para mim? Por isso, agradeço o presente e coloco no armário, para nunca mais ser usado. Em seguida, digo a minha esposa que a acho tão maravilhosa que nunca quero usar seu presente, para o caso de acabar amando ele mais do que ela. Em seguida, penso em outras razões pelas quais o presente é bom, mas potencialmente perigoso demais para ser utilizado. Se eu me aventurar a usá-lo, certamente não vou gostar. Só realmente se for para as necessidades básicas.

O que minha esposa deve pensar dessa reação? Na melhor das hipóteses, é um pouco estranho. O objetivo do presente era que eu pudesse apreciá-lo. Mas se eu simplesmente colocá-lo em uma gaveta e nunca usá-lo, não estou gostando muito do que recebo. O que faz com que pareça um presente muito ruim. Posso dizer, por mais que goste, o quanto amo o presente. Mas se eu realmente não usar e aproveitar, essas são apenas palavras. Se o presente é dado para que possa ser apreciado, se eu não o desfruto, o presente realmente não serviu ao seu propósito.

Deus nos criou para que possamos glorificá-lo e desfrutá-lo para sempre. E parte de apreciá-lo é aproveitar os presentes que Ele nos dá. Ele tem prazer em termos prazer nas boas dádivas que Ele nos dá. Afinal, é por isso que Ele nos dá bons presentes. Ele é glorificado quando desfrutamos dos presentes que Ele nos dá. Parte de gostar Dele é desfrutar de Seus bons presentes. Por que Ele nos daria bons presentes se não esperava que os desfrutássemos? Somente os gnósticos querem nos dizer que material = mal e espiritual = bem. O soberano Senhor do universo, a quem todas as coisas pertencem, é claro: ‘Deus … ricamente nos dá todas as coisas para desfrutarmos’ ( 1Tm 6:17 ).

Então aqui está: está tudo bem desfrutar das boas dádivas de Deus. É perfeitamente aceitável – é até muito bom – desfrutar dos dons que Deus nos deu. Contanto que saibamos de onde eles vieram e sejamos gratos ao doador, a única resposta adequada aos dons de Deus depois disso é desfrutá-los.

FONTE: https://stephenkneale.com/2020/08/17/the-proper-response-to-gods-gifts-is-to-enjoy-them/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.